quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Relatório - Encaminhamos a todos os padres, religiosos, religiosas, leigos e leigas o material da 50ª Assembleia Diocesana de Pastoral

Jutay Reboucas     10:47     No comments


Relatório da 50° Assembleia Diocesana – 2017





Caros irmãos e irmãs,


Eis o relatório da 50ª Assembleia Diocesana de Pastoral, nele está contido:

1)    As Orações;
2)    O link do vídeo que Dom Valdemir apresentou sobre o Papa Francisco;*
3)    Avaliação 2017 por Forania;
4)    Aprofundamento do Tema;
5)    Planejamento por Grupos e o resultado final elaborado pelo CDP – Conselho Diocesano de Pastoral;
6)    Organização Pastoral e Administrativa Diocesana.

Que 2018 seja para nós um ano de muita fecundidade pastoral.




Pe. Sérgio Braga Neto
Coordenador de Pastoral Diocesano








* Quem desejar baixar o vídeo, deve seguir os seguintes passos:
  1. Entrar no link: https://globosatplay.globo.com/globonews/v/5803598/ pelo Google Chrome (só está disponível para os assinantes de TV por assinatura SKY, NET, OI, CLARO...);
  2. Fazer o login com usuário e senha do seu cadastro de assinante (quem não tiver é só entrar em contato com a operadora que eles fornecem);
  3. Para quem quiser baixar o vídeo, sugiro a extensão All Video Downloader Professional, é só baixar a extensão no Google Chrome que no canto superior direito aparecerá uma setinha azul, clica na seta e baixa o vídeo.






18 de novembro

š š š   OFÍCIO DA MANHÃ – SÁBADO  

1. CHEGADA – silêncio, oração pessoal
Refrão: Deus vos salve, Deus! Deus vos salve, Deus! Deus salve esta casa...

2. ABERTURA – de pé, fazendo o sinal da cruz nos lábios, durante o primeiro verso:
- Estes lábios meus vem abrir, Senhor, (bis)
 cante esta minha boca sempre o teu louvor! (bis)
- Venham, adoremos a nosso Senhor, (bis)
 Ele é o Deus da vida nosso criador! (bis)
- Teu amor preencha nosso amanhecer (bis)
 e todo o dia alegres vamos conviver. (bis)
- A ti, ó meu Deus, louvo e agradeço, (bis)
 as lidas deste dia eu te ofereço. (bis)
- Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito, (bis)
 glória à Trindade santa, glória ao Deus bendito! (bis)
- Aleluia, irmãs, aleluia, irmãos. (bis)
Com todo o universo, a Deus louvação. (bis)

3. BÊNÇÃO DA ÁGUA
Terminada a abertura, o bispo se volta para o poço e abençoa a água:
Irmãos e irmãs, bendigamos a Deus por esta água e peçamos que ele renove em nós a graça do santo batismo.
Todos rezam em silêncio.
Deus de bondade e compaixão, tu nos deste a irmã água, fonte de vida, e quiseste que, por ela, recebêssemos o batismo que nos consagra a ti. Neste dia a ti consagrado, nós te bendizemos e pedimos: renova, no mais profundo de cada um/a de nós, a fonte viva de tua graça, para que, livres de todos os males, possamos caminhar sempre em tuas estradas e praticar aquilo que é agradável aos teus olhos. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

4. SALMO 136
Deus amou tanto o mundo que lhe deu o seu Filho único. (João 3,16)

1. Ao Senhor dos senhores cantai
ao Senhor Deus dos deuses louvai
maravilhas só ele é quem faz
bom é Deus, ao Senhor pois louvai.

2. Com saber ele fez terra e céu
sobre as águas a terra firmou
para o dia reger fez o sol
e as estrelas pra noite criou.

Pois eterno é seu amor por nós
eterno é seu amor (bis).

3. Primogênitos todos feriu
do Egito, um povo opressor
e dali Israel fez sair
o poder de sua mão o salvou.

4. No mar bravo ele fez perecer
os soldados e o tal Faraó.
Aliança ele fez com Israel
no deserto seu povo guiou.

5. Poderosos sem dó abateu
a famosos reis desbaratou.
Sua terra Israel recebeu
como herança a seu povo entregou.

6. Se lembrou de nós na humilhação
ao Senhor, Salvador proclamai
dele nós recebemos o pão
ao Senhor, Deus dos céus, proclamai.

Aclamação
Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! (bis)
Ponho-me a ouvir o que o Senhor dirá. Ele vai falar, vai falar de paz. Pela minha voz e pelas minhas mãos. Jesus Cristo vai, vai falar de paz!

4. LEITURA BÍBLICA: João 4, 1-15
Naquele tempo, 1Jesus soube que os fariseus ouviram dizer que ele reunia mais discípulos e batizava mais do que João 2– se bem que Jesus mesmo não batizasse, mas os seus discípulos. 3Por isso, saiu da Judéia e voltou para a Galiléia. 4Era preciso que ele passasse pela Samaria. 5Chegou, pois, a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, perto da propriedade que Jacó tinha dado a seu filho José. 6Havia ali a fonte de Jacó. Jesus, cansado da viagem, sentou-se junto à fonte. Era por volta do meio-dia. 7Veio uma mulher da Samaria buscar água. Jesus lhe disse: “Dá-me de beber!” 8Os seus discípulos tinham ido à cidade comprar algo para comer. 9A samaritana disse a Jesus: “Como é que tu, sendo judeu, pedes de beber a mim, que sou uma mulher samaritana?” De fato, os judeus não se relacionam com os samaritanos. 10Jesus respondeu: “Se conhecesses o dom de Deus e quem é aquele que te diz: ‘Dá-me de beber’, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva”. 11A mulher disse: “Senhor, não tens sequer um balde, e o poço é fundo; de onde tens essa água viva? 12Serás maior que nosso pai Jacó, que nos deu este poço, do qual bebeu ele mesmo, como também seus filhos e seus animais?” 13Jesus respondeu: Todo o que beber desta água, terá sede de novo; 14mas quem beber da água que eu darei, nunca mais terá sede, porque a água que eu darei se tornará nele uma fonte de água jorrando para a vida eterna”. 15A mulher disse então a Jesus: “Senhor, dá-me dessa água, para que eu não tenha mais sede, nem tenha de vir aqui tirar água”. – Palavra da Salvação.

5. RITO DE ACOLHIDA

Bispo: Cristo nos convocou e escolheu para seus amigos; lembrem-se sempre dele e sejam fiéis em segui-lo! Para isso, vamos fazer o sinal da cruz de Cristo, este é o sinal dos cristãos, lembrem-se do amor de Cristo por cada um de nós. (O bispo traça o sinal da cruz sobre todos)

Motivação: Agora é a hora de irmos ao poço nos encontrar com Cristo, onde seremos acolhidos pela Igreja.

Ao assinalar a fronte:
N. recebe na fronte o sinal-da-cruz: o próprio Cristo te protege com o sinal de sua vitória. Aprende a conhecê-lo e segui-lo.

Ao assinalar os ouvidos:
Recebam nos ouvidos o sinal-da-cruz,/ para que vocês ouçam a voz do senhor.

Ao assinalar a olhos:
Recebam nos olhos o sinal-da-cruz,/ para que vocês vejam a glória de Deus.

Ao assinalar a boca:
Recebam na boca o sinal-da-cruz,/ para que vocês respondam à Palavra de Deus.

Ao assinalar o peito:
Recebam no peito o sinal-da-cruz,/ para que Cristo habite pela fé em seus corações.

Ao assinalar os ombros:
Recebam nos ombros o sinal-da-cruz,/ para que vocês carreguem o jugo suave de Cristo.

Voltados para o bispo:
Abençoe-vos Deus todo-poderoso,
Pai e Filho e Espírito Santo
Amém!

Pai Nosso ...

Oração
Ó Deus, fonte de toda sabedoria, conduze nossos trabalhos ao longo deste dia, e com a mesma ternura de Pai que compadecestes da samaritana, volta o Teu olhar para esses Filhos para que cheguemos ao final deste encontro com mais clareza sobre os rumos a seguir e com decisões acertadas, de acordo com o teu projeto e a nossa missão. Por Cristo, nosso Senhor. Amém!

6. BÊNÇÃO
O Deus que é luz de todos os povos nos reúna na unidade do seu amor e nos abençoe, agora e sempre. Ele que é Pai, e Filho e Espírito Santo. Amém!

-  Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.
   Para sempre seja louvado!

DESPEDIDA
1. Existe um poço no meio do deserto o povo passa perto da sede a reclamar.
Eu quero um rio de água viva! Eu quero um sopro de esperança. Minha alma segue e não se cansa de caminhar...
2. Se tu soubesses quem pode dar-te a vida. Seria dissolvida a mágoa mais cruel.
3. Jesus é vida, vencendo toda morte mudando a nossa sorte a livrando-se do mal.

Mensagem de Abertura – Dom Valdemir
Após a oração, Dom Valdemir deu início à sua fala explicando que ele irá passar um vídeo sobre o Papa Francisco, o vídeo tem o título: “Os quatro anos do pontificado do Papa Francisco”. O objetivo do vídeo é sobre o nosso trabalho de Iniciação Cristã, o papa João Paulo II, na sua primeira visita ao Brasil disse em Fortaleza que “onde há uma boa catequese tudo mais vem por acréscimo”. O Papa falou também da importância da formação permanente de todos os fiéis e das comunidades. Muito do que foi falado naquela época ainda é atual para nós.
Vamos trabalhar esses dias a partir da proposta do Papa Francisco para a Igreja, são pequenos pronunciamentos que nos ajudarão a perceber nossa missão na Diocese e que tipo de laicato, Francisco está nos chamando à atenção.
Falamos muito em lançar as redes, agora falamos em Rede de Comunidades, ou seja, a comunidade é uma rede que a partir da ação evangelizadora envolve novas pessoas para a construção do Reino.
O papa nos alerta para vermos com os olhos da ternura e misericórdia de Deus a realidade que está à nossa frente e em nós, para que não nos acostumemos com a estrutura pronta que é fácil para nós. Tudo que é novo traz medo e insegurança.
Como Diocese nós já temos uma caminhada, mas precisamos dar novos passos observando o que o papa está nos apontando, sem perder toda a cultura de mais de 2000 anos de Igreja e 60 do Concílio, há a necessidade de avançarmos respondendo o chamado que Jesus nos faz para a construção do Reino.

AVALIAÇÃO POR FORANIA
Padre Sergio deu prosseguimento às atividades convocando os coordenadores das Foranias para apresentarem as avaliações:

Forania São Mateus – Padre Gonçalo

QUAIS OS PASSOS CONCRETOS QUE DEMOS EM RELAÇÃO AO NOSSO OBJETIVO DE EVANGELIZAR EM FIREÇÃO AS FAMÍLIAS EM SUA DIVERSIDADE?
ü  Novenários;
ü  Hora da família;
ü  Diálogo do padre com as comunidades;
ü  Espiritualidade, adoração e missa às quintas-feiras;
ü  Visita missionária, de forma intensificada com a participação de 15 seminaristas;
ü  Convite e divulgações às famílias para os eventos e celebrações;
ü  Acompanhamentos dos ministros dos Ministros da Eucaristia aos idosos;
ü  Círculos bíblicos nas casas das famílias;
ü  Visita da imagem de Nossa Senhora Aparecida às famílias;
ü  Encontros da hora da família nas casas, cuminando com grande encontrão;
ü  Participação das famílias nos encontros paroquiais e diocesanos;
ü  Aumento da participação de casais nas formações;
ü  Inserção da Pastoral Familiar na missa dominical;
ü  Preparação de casais, pais e padrinhos;
ü  Acolhimento e respeito às famílias em suas diversidades (casais de segunda união, casais homo afetivos), mães ou pais solteiros, vós que assumem a maternidade;
ü  Participação do encontrão da Pastoral Familiar;
ü  Missas dos homens nas comunidades.
ü  Preparação de pais e padrinhos;
ü  Catequese de crianças
ü  Catequese de jovens em vista da Crisma;
ü  Formação continuada para coroinhas.

DIFICULDADES
ü  A responsabilidade de assumir compromisso na igreja e na própria comunidade (‘material humano’);
ü  A não participação dos catequistas nas formações a respeito da iniciação cristã.

AVANÇOS
ü  Reza do terço dos homens;
ü  Missas mensais;
ü  Missionários;
ü  ECC;
ü  Formação continuada de coroinhas;
ü  Intensificação na formação dos jovens para a Crisma;
ü  Acompanhamento em grupos de perseverança entre a Eucaristia e a Crisma;
ü  MEJE e infância Missionária;
ü  Implantação da Pastoral do Surdo (Santa Rita);
ü  Formação e aprofundamento mensal da Pastoral do Idoso;
ü  Grupo dos pequeninos (Santa Rita).

SUGESTÕES
ü  Coordenação pedagógica diocesana ou forânica para a catequese;
ü  Implantação da Pastoral do Surdo em outras Paróquias;
ü  Formação com as comunidades (coordenadores) com material próprio para a Iniciação Cristã;
ü  Iniciação cristã desde o ventre materno (acompanhamento das gestantes, pais);
ü  Formação de líderes de pastorais e movimentos para trabalhar em cada grupo o temário;
ü  Palestras, retiros, momento de espiritualidade;
ü  Implantação do catecumenato;
ü  Implantação do ECC;
ü  Formação para jovens e adultos.

Forania São Marcos – Padre Wilson
QUAIS OS PASSOS CONCRETOS QUE DEMOS EM DIREÇÃO ÀS FAMILIAS E SUAS DIVERSIDADES?
ü  O temário das festas tocando as realidades diversas das famílias e atraindo novas famílias durante os novenários para a participação, inclusive proporcionando a participação dessa diversidade nos grupos e pastorais.
ü  Ampliação e intensificação dos Círculo bíblico integrando famílias e atraindo pessoas que estavam afastadas da vida da comunidade.
ü  Realização da semana da família
ü  Visita as famílias, especialmente enfermos e idosos resgatando a auto estima (ministros, pastorais, padre)
ü  Visitas missionárias
ü  Encontros formativos direcionados as famílias
ü  Presença acalentadora nas exéquias
ü  Encontro de pais e padrinhos mais formativo e orante
ü  Participação nos Conselhos Municipais reivindicando melhorias
ü  *Estruturação da pastoral familiar nos três setores (pré – pós – casos especiais)
ü  Realização dos ECCs
ü  Momentos de confraternização (Quermesse, forró das comunidades...)

NOSSAS COMUNIDADES VIVEM A EXPERIÊNCIA DA INICIAÇÃO CRISTÃ DE CRIANÇAS, ADOLESCENTES, JOVENS E ADULTOS?
Sim, através dos círculos bíblicos, santificação do domingo, ECC, catequese de pais e padrinhos ...

DIFICULDADES
ü  Catequese sem inserção na comunidade e na liturgia
ü  Messe grande com poucos operários, sobrecarregando alguns
ü  O não envolvimento das famílias no processo de educação dos filhos na fé, e a consequente iniciação cristã
ü  Não engajamento dos “misseiros”
ü  Catequistas que não são evangelizadores e sim meros repetidores
ü  Insegurança devido a violência
ü  Lideranças sem a iniciação cristã

AVANÇOS:
ü  Participação de novas famílias
ü  Comunidades mais atuantes
ü  Maior assistência por parte dos padres
ü  Envolvimento de jovens nos círculos bíblicos
ü  A iniciação cristã se dá no chão de cada comunidade
ü  Implementação e fortalecimento da infância missionária

SUGESTÕES
ü  Intensificar visitas missionárias às famílias mais afastadas
ü  Reanimar as atividades jovens envolvendo-os na caminhada da comunidade/pastorais
ü  Buscar quebrar o monopólio das tarefas potencializando o dom de cada um e despertando novas lideranças
ü  Dar continuidade ao encontrão dos homens
ü  Investir na formação dos animadores de círculos bíblicos
ü  Elaborar novo material da catequese com itinerário a iniciação a vida cristã e estruturar todo o processo do catecumenato
ü  Buscar unificar os vários subsídios oferecidos ao longo do mês
ü  Envolver os catequizandos na liturgia
ü  Formação sobre a iniciação com todas as pastorais
ü  Realizar ações interparoquias preparando o DNJ e a evangelização
ü  Fortalecer a forania enquanto instância formativa

DATAS
·         29/11/17 – Salão do São Benedito para traçar as metas para 2018
·         15/02/18 – Salão de Santo Antonio
·         15/05/18 – Salão do Andaiá
·         22/08/18 – Salão do São Benedito
·         31/10/18 – Salão de Santo Antonio

FORANIA SÃO LUCAS – Padre Cristovam

QUAIS OS PASSOS DADOS CONCRETOS QUE DEMOS EM RELAÇÃO AO NOSSO OBJETIVO DE EVANGELIZAÇÃO EM DIREÇÃO ÀS FAMÍLIAS EM SUA DIVERSIDADE?
ü  Animação dos Círculos Bíblicos;
ü  Formação dos agentes da Pastoral do Dízimo;
ü  Animação e visita Missionária com os membros do Apostolado da Oração nos bairros e comunidades;
ü  Animação com os grupos de homens nas diversas famílias;
ü  Visitas às casas e orações nelas;
ü  Preparação para pais e padrinhos nas casas (algumas);
ü  Semana da família nas comunidades;
ü  Visitas aso doentes e envolvimento dos membros das casas na oração;
ü  Animação da juventude nas comunidades;
ü  Visita às escolas e envolvimento das escolas em atividades eclesiais;
ü  Evangelização na rua (abraçando os transeuntes);
ü  Acolhida às famílias com dificuldades, com visita domiciliar; (orações, ajuda, encaminhamentos);
ü  Celebração do dia do idoso;
ü  Catequese com mais envolvimentos dos pais (catequese em casa de catequizando, pais animando orações, entre outras);
ü  Semana da saúde da Criança, envolvendo os pais e profissionais da saúde;
ü  Semana da família;
ü  Participação das famílias nos encontros paroquiais e diocesanos;
ü  Congresso da família;
ü  Escola Bíblica Teológica;
ü  Formação Bíblica e caminhada Bíblica;

NOSSAS COMUNIDADES VIVEM A EXPERIÊNCIA DA INICIAÇÃO CRISTÃ DE CRIANÇAS, ADOLESCENTES, JOVENS E ADULTOS? QUAIS OS AVANÇOS?
ü  Reestruturação do Grupo de Homens;
ü  Multiplicação dos Grupos de Círculos Bíblicos;
ü  Preparação de Adultos ao Catecumenato;
ü  Aumento dos fieis nas celebrações dominicais.
ü  Ainda se vive a experiência do catecumenato como uma catequese específica para os catecúmenos.

DIFICULDADES
As maiores dificuldades são as mudanças de mentalidade; A participação dos catequistas nas formações, encontrar lideranças para coordenar, formação mais clara e objetiva; distância geográfica das comunidades, pouca escolarização de alguns catequistas;

AVANÇOS
Formação para os catequistas, aquisição de material alternativos, envolvimento de algumas pastorais no processo catecumenal (Pastoral Familiar e ECC); catequese de crianças estilo catecumenal.
A permanência dos neófitos na inserção da vida eclesial.

NOSSAS COMUNIDADES VIVEM A EXPERIÊNCIA DA INICIAÇÃO CRISTÃ DE CRIANÇAS, ADOLESCENTES, JOVENS E ADULTOS? QUAIS AS DIFICULDADES?
Sim, as dificuldades maiores estão na participação dos pais, o percentual ainda é pequeno (adolescente e jovens) por causa da falta de incentivo dos adultos.

FORANIA SÃO JOÃO – Padre Cristovão Figueiredo
QUAIS OS PASSOS CONCRETOS QUE DEMOS EM RELAÇÃO AO NOSSO OBJETIVO DE EVANGELIZAR EM FIREÇÃO AS FAMÍLIAS EM SUA DIVERSIDADE?
ü  Círculo bíblico nas famílias que participam da comunidade;
ü  Implantação e revitalização dos círculos bíblicos nas comunidades indo de encontro às famílias;
ü  Encontros com as famílias;
ü  Ação solidária em relação ás famílias que vivem em situação de risco;
ü  Semana da família (encontro com todas as comunidades; utilização do material hora da família; adoração com as famílias);
ü  Momento de espiritualidade com as famílias;
ü  Fortalecimento da pastoral familiar;
ü  Implantação da pastoral famíliar;
ü  Estudo e reflexão sobre a importância da família na vivência comunitária;
ü  Estudo do documento Amoris Leaticia – A alegria do Amor;
ü  Vivência do ecumenismo a partir da pastoral da criança, unido protestantes e Católicos;
ü  Vivencia do mês mariano com temas voltados às famílias, realização dos encontros nas residências;
ü  Acolhida a imagem de Nossa Senhora Aparecida como sinal de fraternidade entre as famílias;
ü  Vigília de pentecostes baseado no conteúdo do subsidio hora da família e Amoris laeticia;
ü  Encontro dos Homens na forania com o tema: Família e Maria, Mãe de Jesus. (com a participação dos padres);
ü  Terço dos Homens nas famílias fragilizadas;
ü  Visitas às famílias por leigos e padres;
ü  Festas de padroeiros (as) com a temática: Famílias de Famílias (noites dedicadas às famílias com com seus sobrenomes) – Conscientização das famílias como templos de Deus.
ü  Testemunhos sobre a alegria de viver numa família cristã nas noites de trezenários, novenários e tríduos;
ü  Envolvimentos das famílias na preparação da Ordenação do Pe. Ângelo;
ü  Trabalho com a juventude sobre conflitos familiares nos encontros de jovens em preparação para o EJUC – Encontro de Jovens Unidos em Cristo;
ü  Encontro comunitário com as famílias;
ü  Momentos de lazer e comunhão das comunidades paroquias;
ü  Festa das inscrições para catequese com a presença das famílias;
ü  Formação de catequistas;
ü  Participação nos encontros de forania e diocesanos com a temática família;
ü  Encerramento do mês da Bíblia;
ü  Maior intensidade da catequese em relação à família, sua vocação e missão e a riqueza do Sacramento do Matrimonio;
ü  Reuniões mensais com os coroinhas
ü  Assembleias comunitárias a partir da experiência pessoal com Cristo envolvendo temas como: conselhos, ministérios e famílias;
ü  Preparação de pais e padrinhos;
ü  Celebração dos tempos temáticos realizados em famílias;
ü  Comunidade Eclesial e celebração dos sacramentos;
ü  Catequese de jovens e adultos nas comunidades;
ü  Missão nas comunidades;
ü  Implantação da pastoral da criança em comunidades onde não existia;
ü  A Posição da igreja em relação a ideologia de gênero;
ü  Participação as famílias na confecção dos tapetes para a festa de Corpus Christi;
ü  Valorização das famílias em romarias, caminhadas e jornadas;
ü  Celebração da palavra com as famílias;
ü  Implantação do ECC

NOSSAS COMUNIDADES VIVEM A EXPERIÊNCIA DA INICIAÇÃO CRISTÃ DE CRIANÇAS, ADOLECENTES, JOVENS E ADULTOS?
Constatamos que nestes 500 anos de Evangelização, o povo de Deus, vivenciou uma fé baseada na devoção. O Concílio Vaticano II nos fez enxergar uma Igreja de comunhão e participação. Há corajosas tentativas de tornar a fé uma decisão pessoal, consciente e comunitária, onde nestes 55 anos logramos o crescimento de parcelas do clero, laicato e vida religiosa que faz da renovação da igreja uma realidade.
É necessário partir das experiências que temos de uma vida cristã gerada na fé centrada em Cristo, que nos revela o mistério trinitário a partir da palavra e da consciência de pertença eclesial.
A iniciação cristã é uma realidade incipiente em nossas paróquias que precisa ser assumida com a mesma urgência que nos indicou o episcopado brasileiro.

QUAIS AS DIFICULDADES?
ü  Dificuldade de entender, vivenciar e realizar o itinerário catequético;
ü  Formação deficitária dos agentes de pastorais;
ü  Falta de conhecimento do espirito do RICA;
ü  Catequese vivida à margem da liturgia na vivencia da comunidade;
ü  A dupla pertença religiosa como pertença ao grupo humano que o conhecimento da pessoa de Jesus Cristo e a entrada no mistério da igreja;
ü  Lidar pacientemente com pessoas que realizam atividades, estão presentes na comunidade, mas não vivenciam uma real e consciente pertença pessoal a Cristo e a sua igreja;
ü  Investimento financeiro suficiente para a formação dos agentes de evangelização.
ü  Carência de catequistas e agentes de pastorais preparados para acompanhar o processo de inicialização;
ü  Ajudar os meios de comunicação católicos a adentrarem no processo de iniciação cristã.

QUIAS OS AVANÇOS?
ü  Permanentes avaliações da caminhada onde a pregação da palavra de deus na paróquia segue um rumo kerigmático;
ü  Celebração do catecumenato com suas etapas bem diferenciadas especialmente a preparação próxima no período da quaresma com a realização do Sacramento da iniciação cristã na celebração da vigília pascal.
ü  Pessoas que se engajam na comunidade pela participação na liturgia e se colocam a serviço de outras pastorais com zelo;
ü  Uma crescente consciência de uma identidade cristã católica;
ü  Ampliação da catequese nas comunidades de forma iniciática;
ü  Formação iniciática dos serviços litúrgicos;
ü  Valorização e participação nas liturgias;
ü  Surgimento de novas comunidades eclesiais;
ü  Realização de serviços para jovens e casais com uma metodologia iniciática.

SUGESTÕES PARA A NOSSA CAMINHADA
ü  Assumir a iniciação e (re)iniciação como urgência na nossa diocese como preocupação de transmissão da fé no mundo de radicais transformações;
ü  Formação para grupos pastoris no sentido de introduzir as pessoas no mistério de Cristo;
ü  Catequese em todas as etapas dentro do espirito do RICA;
ü  Formação dos padres, religiosas em direção a esta nova exigência pastoral;
ü  Investir na formação do introdutor no processo de iniciação do catecúmeno na comunidade;
ü  Escola de formação para leigos – EDITA (Escola Diocesana Teológica de Amargosa), como espaço de formação de iniciados e iniciadores;
ü  Participação dos catequistas na escola regional de catequese;
ü  Formação para o ministério de música dentro do processo iniciatório;
ü  Despertar o aspecto social da iniciação cristã.

FORANIA SÃO PAULO – Padre José Roberto
QUAIS OS PASSOS CONCRETOS QUE DEMOS EM RELAÇÃO AO NOSSO OBJETIVO DE EVANGELIZAR EM DIREÇÃO ÀS FAMÍLIAS EM SUA DIVERSIDADE?
ü  Organização da Pastoral Familiar
ü  Coordenação da Pastoral Familiar na Paróquia São Benedito – Serra Grande
ü  Participação na formação da coordenação em SAJ

NOSSAS COMUNIDADES VIVEM A EXPERIÊNCIA DA INICIAÇÃO CRISTÃ DE CRIANÇAS, ADOLECENTES, JOVENS E ADULTOS?
A Catequese está acontecendo da forma anterior em todas as Paróquias, porém, algumas já deram passos com a criação de turmas com caráter catecumenal (Mutuípe). Há também a catequese para o Batismo de Adultos (Catecumenato).

QUAIS AS DIFICULDADES?
Organizar a catequese com caráter catecumenal com a aceitação de todos os catequistas.
Pessoas comprometidas que assumam as coordenações paroquiais e que estejam dispostas a estudar, organizar e fazer acontecer em todas as comunidades.

AVANÇOS:
ü  Estudos da proposta Diocesana (Querigma) na Forania e nas paróquias;
ü  Experiência de começar as turmas novas com este caráter n Zona Urbana e Rural (Mutuípe desde 2015)

SUGESTÕES:
ü  Um estudo com um pequeno grupo, na Forania do doc. 107, com a presença do Coordenador Diocesano da Dimensão Bíblico Catequética. Deste estudo geraria uma equipe maior de multiplicadores para os estudos nas paróquias com todas as pastorais. Depois deste estudo traçar um planejamento a nível de forania, para que todos falem a mesma língua;
ü  Repensar o círculo bíblico com outro tema (tema próprios).

FORANIA SÃO PEDRO – Padre Gilton
QUAIS OS PASSOS CONCRETOS QUE DEMOS EM RELAÇÃO AO NOSSO OBJETIVO DE EVANGELIZAR EM DIREÇÃO ÀS FAMÍLIAS EM SUA DIVERSIDADE?
ü  Realização dos ´Círculos Bíblicos
ü  Mês Mariano (com as famílias)
ü  Terço (com as famílias)
ü  Semana da família (católicos que não ão à igreja)
ü  Convite nas famílias para participação em comunidade
ü  Preparação para a Semana Missiónária do Dízimo
ü  Estudo da   Exortação Apostólica pós-Sinodal do Papa Francisco sobre a família. “Amoris laetitia”.
ü  Temário das festas dos padroeiros com o tema “família”;
ü  Semana missionária com a pastoral Familiar nas comunidades urbanas;
ü  Dia da família;
ü  Encontros formativos com as famílias;
ü  Momento de Espiritualidades com as famílias;
ü  Santificação do domingo;
ü  Visita dos missionários as comunidades rurais;
ü  O serviço da Pastoral da criança no acompanhamento às famílias.
ü  Visita do Santuário da Mãe Rainha às famílias.

NOSSAS COMUNIDADES VIVEM A EXPERIÊNCIA CRISTÃ DE CRIANÇAS, ADOLESCENTES, JOVENS E ADULTOS?
ü  Sim
ü  Preparação para a Primeira Eucaristia
ü  Catequese para adolescentes e jovens (Catecumenato)
ü  Preparação para a Crisma
ü  Catequese para adultos batizados (Escola de Maria)
ü  Perseverança
ü  Infância Missionária
ü   Escalada e Escaladinha
ü  Grupos de Círculos do ECC
ü  Seminário de Vida no Espírito (RCC)

QUAIS AS DIFICULDADES?
ü  Agentes das pastorais não iniciados
ü  Atualização dos materiais da catequese

QUAIS OS AVANÇOS?
ü  Aumento das turmas de catequese
ü  Abertura de novas casas para o círculo bíblico
ü  Participação das crianças na liturgia dominical
ü  Catequese para adultos
ü  Iniciação Cristã para os grupos do Terço com os homens.

QUAIS AS SUGESTÕES?
ü  Retomar e Intensificar a Catequese permanente dos leigos. (Formação permanente: EDITA; Escolas Paroquiais; Ministérios Leigos)
ü  Revisar   os materiais a partir do documento 107 e do RICA
ü  Organizar as Pastorais, movimentos e os diversos ministérios a partir do processo da Iniciação à Vida Cristã.
ü  Formar grupos para a Catequese de Adultos (Catecúmenos)

Padre Sérgio concluiu que todas as foranias responderam bem de acordo com a proposta do temário das famílias. O objetivo era olhar para a questão da família voltando a atenção para o ano passado.

Iluminação – Iniciação à Vida Critã: itinerário para formar discípulos missionários – Doc 107 – Pe. Marco

Padre Marco iniciou a sua fala fazendo uma apresentação do tema tendo como base o Documento 107 da CNBB. Falou que Itinerário = caminho, é o percurso que vamos passar, quando falamos em iniciação à vida cristã, essa palavra corresponde a uma verdade maior. Quando falamos desse assunto não estamos refletindo um assunto novo, estamos nesse caminho há algum tempo. O apelo a tomarmos o caminho de voltar nossa atenção para a Iniciação Cristã vem a partir do Concílio Vaticano II, desde lá passos tem sido dado e nós estamos caminhando com eles... Pensamos em 3 passos: o 1) RICA, que ganha força com o Estudo da CNBB sobre a 2) Iniciação Cristã (Estudo n. 97) e o 3) Itinerário Catequético. Vamos refletir à luz do documento, mas não iremos fazer um estudo dele.
Iniciação à vida cristã é algo novo? Quem inventou a iniciação foi o próprio Jesus, ela está na essência da fé cristã. Quem não se encontra com Jesus não está vivendo sua fé corretamente, por isso nosso referencial sobre o assunto é o próprio Jesus.
Jesus queria que as pessoas fizessem o encontro pessoal com Ele, um encontro transformador. Encontrar com Cristo é encontrar o Reino.
Nesse caminho de iniciação tomaremos o texto do encontro de Jesus com a Samaritana, quando lemos “era preciso passar pela Samaria”, significa que Jesus precisava se encontrar com a mulher. A sede de Jesus que o texto fala, era a sede de dar-se a encontrar com ela. Jesus não podia cobrar mais do que foi dado à samaritana, nós também não podemos fazer isso, cobrar das pessoas aquilo que elas não têm. Jesus acolhe sem colocar exigência para, Jesus simplesmente chega e se faz presença.
Diante da mulher estava alguém que ouviu sua história sem condenar, mas com ouvidos e olhar de misericórdia.
Há um período na Igreja que as pessoas eram cristãs e isto era vivido pela tradição, todos eram católicos, a criança nascia batizada, quando o bispo chegava na Paróquia crismava e quando estavam um pouco maiores faziam a eucaristia, a família transmitia a fé para os seus e assim a Igreja foi se firmando como na fé do povo. Até os dias de hoje o batismo tem muita importância na vida cristã, tanto que percebemos que os 3 Sacramentos em sua essência perderam sua mística.
Depois de termos feito uma visita ao Documento 107 à luz da Iniciação Cristã como itinerário para formar Discípulos Missionários, vemos a necessidade de traçar uma linha de ação para começar os trabalhos, ações que devemos fazer acontecer imediatamente em nossas comunidades:
ü  Romper com a ideia de uma Catequese em vista dos Sacramentos; Não existe Catequese de Primeira Comunhão, Catequese de Crisma ou Catequese de Batismo! Existe a Catequese para Crianças, Catequese para Adolescentes, Catequese para Adultos, Catequese para Casais, etc... Não existe curso: de batismo, de noivos...
ü  Distanciar a Catequese da Sala de Aula; Romper com tudo que lembre escola: matrícula, aula, professor, aluno, sala, ano, turma, série, dever de casa...
ü  Centrar a Catequese na Pessoa de Jesus; Nossa fé é Cristocêntrica; Nossa Catequese também precisa ser! Não pode ser uma Catequese apenas pra ensinar doutrinas e normas; É uma Catequese para aproximar as pessoas de Jesus!
ü  Aproximar a Catequese da Liturgia: Só existe Catequese de Inspiração Catecumenal se houver uma aproximação profunda entre Catequese e Liturgia!
ü  Ter a Páscoa como o nosso grande Referencial! A Páscoa é nosso ponto de Partida e de Chegada! Pra isso ser sentido no KAIRÓS, precisa ser vivido no CRONOS.
ü  Romper com a idéia de Celebração dos Sacramentos como conclusão da Catequese! Sacramento não é Formatura!

 Dom Valdemir tomou a palavra para elogiar e valorizar a assessoria que estamos tendo em nossas formações, no ano anterior foi o padre Sérgio, esse ano padre Marco, todos de nossa diocese e em nada deixam a desejar de outros estudiosos.

Planejamento
Padre Sérgio convidou os presentes para invocar o Espírito Santo para nos ajudar nos trabalhos na parte da tarde. Padre Marco já nos introduziu para nos tornarmos discípulos missionários, a Igreja é em sua essência discípula. Nós queremos estar alimentados em Cristo para sermos comunicadores da verdade,
A partir do que foi refletido na parte da manhã, vamos tentar olhar para o mesmo ponto e elaborar um objetivo e duas prioridades para o próximo ano

GRUPO 01 – Azul
Objetivo – Evangelizar em vista da formação de uma Igreja “Rede de Comunidades”, lugar da iniciação à vida cristã para formar leigos e leigas protagonistas de uma Igreja discípula-missionária-profética e misericordiosa.
Urgências:
1. Formação permanente com todos os agentes de pastorais, movimento, conselhos e ministérios;
2. Preparar o material da catequese com base no itinerário da Iniciação à Vida Cristã,

GRUPO 02 – Preto
Objetivo – Evangelizar, proporcionando o encontro pessoal com Jesus Cristo no processo de Iniciação à Vida Cristã como sal, luz e fermento da/na Igreja e na sociedade.
Urgências:
1. Formação permanente: Conselhos e Coordenadores de pastorais.
2. Fortalecer as oficinas de Círculos bíblicos

GRUPO 03 – Branco
Objetivo – Evangelizar, conhecimento, consciência, seguimento, pertença, testemunho e presença
Urgências:
1. Conscientizar clero e povo sobre o protagonismo dos leigos na comunidade eclesial;
2. Centralizar a partilha da Palavra de Deus, nos pequenos grupos a partir das experiências de círculos bíblicos.
Conscientização do dízimo como instrumento missionário e da partilha em família.

GRUPO 04 – Marrom
Objetivo – Evangelizar em vista da formação de uma Igreja “Rede de Comunidades”, lugar da iniciação à Vida Cristã que conduza à conversão pessoal, comunitária e pastoral do sujeito eclesial em vista de uma Igreja em saída.
Urgências:
1. Formação permanente dos grupos, pastorais, conselhos, movimentos e organismos:
- EDITA;
- Fortalecer a Forania enquanto instância formativa;

2. O trabalho evangelizador desenvolvido com a juventude:
- que precisa ir além da sensibilização e do entretenimento;
- é preciso priorizar o crescimento espiritual, a educação para a responsabilidade pessoal e social, a ética nas relações humanas, profissionais, afetivas e sexuais e a orientação vocacional.

GRUPO 05 – Vermelho
Objetivo – Evangelizar em vista da formação de uma Igreja “Rede de comunidades”, lugar da Iniciação à Vida Cristã missionária, comunicativa que desperta discípulos missionários como sujeito eclesial para o seguimento a Jesus Cristo.
Urgências:
1. Utilizar os meios de comunicação para evangelizar, fortalecer, conscientizar e educar na fé cristã, em função de uma Igreja em saída.
2. Retomar a formação bíblico-catequética a partir da contribuição da EDITA nas paróquias.

GRUPO 06 – Laranja
Objetivo – Evangellizar, a partir do Encontro pessoal com Jesus Cristo para formar discípulos missionários numa opção preferencial pelos pobres, em vista do fortalecimento de uma Igreja Rede de Comunidades, Casa da Iniciação à Vida Cristã.
Urgências:
1. Intensifica a formação permanente do clero e dos leigos
2. Reestruturar as equipes paroquiais missionárias

GRUPO 07 – Lilás
Objetivo – Evangelizar, possibilitando o encontro pessoal com Jesus Cristo, a partir da Iniciação Cristã acolhendo, vivendo e celebrando numa Igreja Rede de Comunidades
Urgências:
1. Mergulhar toda a Igreja Diocesana no conhecimento e na vivência da Iniciação Cristã.
2. Tornar as orientações práticas do aprofundamento como inspiração para o iniciar do caminho.

GRUPO 08 – Rosa
Objetivo – Evangelizar em vista da formação de uma Igreja “Rede de Comunidades”, lugar do encontro com Jesus Cristo pela escuta e pela prática.
Urgências:
1. Estudo da Iniciação à Vida Cristã para com todos os grupos pastorais, movimentos e ministérios.
2. Reformular os livros da catequese com a proposta da Iniciação Cristã
3. Oficinas ou Escolas Bíblicas

GRUPO 09 – Verde
Objetivo – Evangelizar, em vista da formação de uma Igreja “Rede de Comunidades”: Casa da Iniciação à Vida Cristã levando a família ao encontro pessoal com Jesus Cristo, para formar leigos sujeitos em uma Igreja em saída.
Urgências:
1. Formação de iniciadores para a Vida Cristã através das escolas teológico-pastoral diocesana e paroquial.
2. Vivenciar com maior empenho a catequese como lugar de iniciação ao mistério de Cristo celebrado na liturgia dominical na comunidade.

GRUPO 10 – Amarelo
Objetivo - Evangelizar em vista da formação de uma Igreja “Rede Comunidades”, a partir do encontro pessoal e comunitário com Jesus Cristo, tendo em vista o processo permanente da Iniciação à Vida Crista. 

Urgências:
1. Vivenciar e Proporcionar o encontro pessoal e comunitário com Jesus Cristo, pelo processo mistagogicos dos tempos litúrgicos, (celebrações dos sacramentos bem preparadas e vivenciadas; formações; retiros...)
2. Repensar e organizar os encontros das pastorais e movimentos, no processo de inspiração catecumenal.  





19 de novembro


š š š   OFÍCIO DA MANHÃ – DOMINGO   

1. CHEGADA - silêncio - oração pessoal
Refrão: O nosso olhar se dirige a Jesus, o nosso se mantém, no Senhor.

2. ABERTURA
- Estes lábios meus, vem abrir, Senhor, (bis)
Cante esta minha boca hoje o teu louvor! (bis)
- Venham, adoremos, Cristo ressurgiu! (bis)
A criação inteira o Senhor remiu. (bis)
- Venham, canto novo ao Senhor cantar, (bis)
Seu nome, ó terra inteira, venham celebrar! (bis)
- Céus e terra dancem de tanta alegria, (bis)
Deus, com sua justiça, nos governa e guia! (bis)
- Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito. (bis)
Glória à Trindade Santa, glória ao Deus bendito! (bis)
- Aleluia, irmãs, aleluia irmãos! (bis)
Povo de sacerdotes, a Deus louvação. (bis)
3. RECORDAÇÃO DA VIDA

4. HINO
1. Irmão sol, com irmã luz,/ Trazendo o dia pela mão./ Irmão céu de intenso azul/ A invadir o coração, aleluia.

Irmãos, minhas irmãs/ vamos cantar nesta manhã,/ pois renasceu mais uma vez/ a criação das mãos de Deus./ Irmãos, minhas irmãs, vamos cantar,/ Aleluia, aleluia, aleluia.

2. Minha irmã terra que ao pé/ dá segurança de chegar./ Minha irmã planta que está/ suavemente a respirar, aleluia!

3. Irmã flor, que mal se abriu/ fala do amor que não tem fim./ Água, irmã, que nos refaz/ e sai do chão cantando assim: Aleluia!

4. Passarinhos, meus irmãos,/ com mil canções a ir e vir./ Homens todos, meus irmãos,/ que nossa voz se faça ouvir: Aleluia!

Aclamação
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia!
Agora é o Senhor que vai falar, Palavra que transforma nossa vida aclamemos com alegria e louvor a Palavra que fecunda nossa vida.

5. LEITURA BÍBLICA – João 4, 16-26
16Ele lhe disse: “Vai chamar teu marido e volta aqui!” 17– “Eu não tenho marido”, respondeu a mulher. Ao que Jesus retrucou: “Disseste bem que não tens marido. 18De fato, tiveste cinco maridos, e o que tens agora não é teu marido. Nisto falaste a verdade”. 19A mulher lhe disse: “Senhor, vejo que és um profeta! 20Os nossos pais adoraram sobre esta montanha, mas vós dizeis que em Jerusalém está o lugar em que se deve adorar”. 21Jesus lhe respondeu: “Mulher, acredita-me: vem a hora em que nem nesta montanha, nem em Jerusalém adorareis o Pai. 22Vós adorais o que não conheceis. Nós adoramos o que conhecemos, pois a salvação vem dos judeus. 23Mas vem a hora, e é agora, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade. Estes são os adoradores que o Pai procura. 24Deus é Espírito, e os que o adoram devem adorá-lo em espírito e verdade”. 25A mulher disse-lhe: “Eu sei que virá o Messias (isto é, o Cristo); quando ele vier, nos fará conhecer todas as coisas”. 26Jesus lhe disse: “Sou eu, que estou falando contigo”. – Palavra da Salvação

6. ENTREGA DO SÍMBOLO
Motivação: Caríssimos discípulos missionários da porção do povo de Deus da Diocese de Amargosa, agora vocês receberão e professarão as palavras da fé. São poucas, mas contém grandes mistérios. Recebam e guardem essas palavras com pureza de coração.

Enquanto a oração é entregue, canta-se:
Senhor, eu reafirmo a minha fé: eu creio em Ti, eu creio em Ti. E falo para quem quiser ouvir: eu creio em Ti, eu creio em Ti, Senhor da vida.
1. Creio, tu foste nosso criador e toda terra te agradeceu, creio em Jesus o nosso intercessor que deu a vida por amor aos seus.
2. Creio que o mundo se extasiou ao ver tão bela a tua criação, creio no Filho revelador que se fez carne pra se dar em pão. 
3. Creio que o Espírito tudo mudará quando iluminar a nossa história, e o mundo em Ti a fé reafirmar será meu Deus a tua grande Vitória.

O bispo convoca a todos para rezar a oração do Creio que acabaram de receber.

Oração
Ó Deus, defensor da vida, o teu Filho Jesus venceu a morte pela sua ressurreição. Imploramos vosso amor de Pai em favor destes vossos servos. Purificai-os e santificai-os; dai-lhes verdadeira ciência, firme esperança e ardor missionários. Te pedimos em nome dele, Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém!

7. BÊNÇÃO
O Senhor nos abençoe e nos guarde! Amém!
O Senhor faça brilhar sobre nós a sua face e nos seja favorável! Amém.
O Senhor dirija para nós o seu rosto e nos dê a paz! Amém!
- Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.
Para sempre seja louvado!

Encaminhamento para Planejamento

Padre Sérgio deu início ao segundo dia retomando o Objetivo Geral e as Urgências que foram apresentados pelos grupos no dia anterior. Logo após as Dimensões se reuniram para pensar com base no Objetivo e Urgências o planejamento para o próximo ano.

Objetivo Geral
Evangelizar, a partir do Encontro pessoal com Jesus Cristo para formar discípulos (as) missionários (as) numa opção preferencial pelos pobres, em vista do fortalecimento de uma Igreja Rede de Comunidades, rumo ao Reino definitivo.

Urgências:
1.      Intensificar a formação permanente:
a.      Com o laicato a nível diocesano EDITA
b.      Foranias – Encontros de formação
c.       Paróquias – Escolas de formação de iniciadores
d.      Inicial e permanente do clero
2.      Trabalhar os conselhos paroquiais (CONPAC, CPP e CAP) em vista da sustentabilidade da evangelização;
3.      Vivenciar com maior empenho a catequese (crianças, adolescentes, jovens e adultos) como processo de iniciação ao mistério de Cristo celebrado na liturgia;
4.      Tornar os grupos de Círculos-Bíblicos como lugar privilegiado de catequese para adultos;
5.      Preparar o material da catequese de crianças com base no itinerário da Iniciação à Vida Cristã;
6.      Utilizar os meios de comunicação da Diocese para evangelizar, fortalecer, conscientizar e educar na fé cristã, a partir das diretrizes diocesanas. - Formar os agentes de comunicação da Diocese;
7.      Reestruturar as equipes paroquiais missionárias a partir dos Conselhos de Leigos e Dimensão Missionária.

Organização Pastoral e Administrativa Diocesana

Governo Diocesano
Bispo Diocesano – Dom Valdemir Ferreira dos Santos
Vigário Geral – Pe. Almiro
Chanceler – Pe. José Filho
Coordenador Diocesano de Pastoral – Pe. Sérgio Braga
Representante do Clero – Pe. Nilvandro
Reitor do Seminário Maior – Pe. Lourival Hélio
Vigário Judicial – Pe. Nelson

Vigários Forâneos
São Mateus – Pe. Gonçalo Marinho
São Marcos – Pe. Wilson Vitória
São Lucas – Pe. Cristovam Moreira
São João – Pe. Cristovão Reis
São Pedro – Pe. Gilton Abreu
São Paulo – Pe. José Roberto

Conselho Diocesano de Pastoral
Comunitário-Participativa – Pe. Everaldo e Pe. Jurandir
Bíblico-Catequética – Pe. Marco Antonio
Missionária – Pe. Daniel Bitencourt
Sócio-Transformadora – Pe. Bonfim
Litúrgica – Pe. Valmiro
Ecumênica – Pe. Edson
Vigários Forâneos:
Pe. Gonçalo Marinho
Pe. Wilson Vitória
Pe. Cristovam Moreira
Pe. Cristovão Reis
Pe. Gilton Abreu
Pe. José Roberto
Leigos:
São Mateus – ??????????
São Marcos – Luiz e Carla (SAJ)
São Lucas – Dinho (Bom Jesus)
São João – Natalino (Castro Alves)
São Pedro – Léo (São Felipe) e Nira (Nazaré)
São Paulo – Fabrícia Karana (Mutuípe)

Conselho Econômico
Pe.Almiro
Pe. Wilson
Pe. Valdésio

Equipe Administrativa
Pe. Marco
Pe. Edson
Pe. Nelson

Articuladores das Pastorais
Pastoral Familiar – Pe. Neivaldo
Pastoral do Dízimo – Pe. José Roberto
Setor Juventude – Pe. Nilvandro e Pe. Ângelo
Grupo de Homens – Pe. José Filho
Movimentos Marianos e Apostolado – Pe. Edson
PASCOM – Pe. Valter
Campanhas – Pe. Bonfim e Pe. Daniel
RCC – Pe. Nilvandro
Pastoral da Juventude – Pe. Ivan
EDITA – Pe. Raimundo de Jesus
Escola Diaconal – Pe. Edézio, Pe. Sérgio e Pe. Marco
Câmara Eclesiástica – Pe. Nelson
Pastoral Carcerária – Pe. Nilton
Pastoral da Pessoa Idosa – Pe. José Edson
Pastoral Vocacional – Pe. Anderson
ECC – Primeira Etapa: Pe. Gilton; Segunda Etapa: Pe. Sérgio; Terceira Etapa: Pe. Nelson

COMISSÃO DA EDITA
Luiz Argolo - SAJ
Fernanda Karla - SAJ
Leandro – São Felipe
Miguel – Amargosa
Cristiane – Andaiá
Maria São Pedro – N. Sra do Perpetuo Socorro
Pe. Marco
Pe. Raimundo
Pe. José Raimundo Galvão
Pe. Valmiro

DIMENSÃO ECUMÊNICA
Natael (Seminarista)
Karla
Marizélia
Pe. Fernando


Após a conclusão do Planejamento Pe. Sérgio pediu aos participantes que fizessem a Avaliação da Assembleia, os que tinham interesse foram inscritos:

  1. Destacou a preparação para a assembleia, o envio do material com antecedência para as paróquias e foranias se reunirem e responder as questões propostas; a condução e participação;
  2. Objetividade da assembleia, sem tumultuo, e o número de pessoas;
  3. Sugere que a assembleia comece na sexta-feira à tarde e vá até o sábado;
  4. Justificou que não deveria ser a partir de sexta, pois é complicado para os leigos devido a liberação pelo chefe;
  5. Elogiou a entrega antecipada do material para as paróquias, a essência do encontro pessoal com Cristo. Preocupação, voltar nas assembleias paróquias pensar no chão da paróquia e alinhar as diretrizes aqui definido;
  6. Destacou a unidade na proposta da Iniciação à Vida Cristã como alicerce para a missão de toda a diocese.
  7. O ambiente (Sede Paroquial de Amargosa) favoreceu, por ser ventilado;
  8. Pensamos em um calendário extenso, todo ano se avalia, mas, todos anos acaba tendo muitas datas porque o ano todo são as mesmas pessoas que participam dos encontros. A celebração eucarística não houve preparação;
  9. O silêncio e participação, avaliar é necessário para poder melhorar. A celebração eucarística não teve brilho, houve um relaxamento em sua preparação.
  10. Tudo foi muito bem, mas ela destaca a entrega das garrafinhas e dos copos, o que evitou o uso de copo descartável.

Após a avaliação Pe. Valmiro orientou aos presentes que pegassem seus vasos de barro e como a Samaritana caminhássemos para o poço, onde faríamos nosso encontro com o Cristo.


š š š   BÊNÇÃO E ENVIO   

HINO
1. Existe um poço no meio do deserto o povo passa perto da sede a reclamar.
Eu quero um rio de água viva! Eu quero um sopro de esperança. Minha alma segue e não se cansa de caminhar...
2. Se tu soubesses quem pode dar-te a vida. Seria dissolvida a mágoa mais cruel.
3. Jesus é vida, vencendo toda morte mudando a nossa sorte a livrando-se do mal.

LEITURA BÍBLICA – João 4, 27-30. 39-42
27Nisto chegaram os discípulos e ficaram admirados ao ver Jesus conversando com uma mulher. Mas ninguém perguntou: “Que procuras?”, nem: “Por que conversas com ela?”. 28A mulher deixou a sua bilha e foi à cidade, dizendo às pessoas: 29“Vinde ver um homem que me disse tudo o que eu fiz. Não será ele o Cristo?” 30Saíram da cidade ao encontro de Jesus. 39Muitos samaritanos daquela cidade acreditaram em Jesus por causa da palavra da mulher que testemunhava: “Ele me disse tudo o que eu fiz”. 40Os samaritanos foram a ele e pediram que permanecesse com eles; e ele permaneceu lá dois dias. 41Muitos outros ainda creram por causa da palavra dele, 42e até disseram à mulher: “Já não é por causa daquilo que contaste que cremos, pois nós mesmos ouvimos e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo”. – Palavra da Salvação

Motivação: Ao chegarmos ao final de nossa Assembleia, tal qual a samaritana, aproximemo-nos do poço, bebamos da água viva e anunciemos aquilo que vimos e ouvimos, pois, “Já não é por causa daquilo que contaram que cremos, pois nós mesmos ouvimos e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo”.

Durante a aspersão:
Banhados em Cristo, / somos uma nova criatura
as coisas antigas já se passaram / somos nascidos de novo.


Oração
Senhor Jesus, que em vossa admirável misericórdia convertestes a samaritana, para que adorasse o Pai em espírito e verdade, iluminai todos esses discípulos missionários que aqui se colocam à disposição do Reino; fortalecei seus corações pela força do Espírito Santo, a fim de que conhecendo vosso Pai, pela fé sincera que se manifesta na caridade, possam anunciar suas maravilhas. Vós que viveis e reinais para sempre. Amém.

BÊNÇÃO
O Deus, que em Cristo manifestou a verdade e a caridade, vos faça mensageiros do Evangelho e testemunhas do seu amor no mundo. Amém!

O Senhor Jesus, que prometeu à sua Igreja estar a seu lado até a consumação dos séculos, dirija os vossos passos e confirme vossas palavras. Amém!

O Espírito do Senhor esteja sobre vós, para que, percorrendo os caminhos do mundo, possais evangelizar os pobres e curar os corações contritos. Amém!

Enquanto as pessoas dirigem-se ao poço, canta-se:
Eu te peço desta água que tu tens, és água viva, meu Senhor,/ Tenho sede e tenho fome de amor e acredito nesta fonte de onde vens./ Vens de Deus, estás em Deus, também és Deus e Deus contigo faz um só./ Eu, porém, que vim da terra e volto ao pó quero viver eternamente ao lado teu.
És água viva, és vida nova e todo dia me batizas outra vez./ Me fazes renascer, me fazes reviver/ E eu quero água desta fonte de onde vens. (bis)


0 comentários :

Nossa Página

.

Seguidores

Total de visualizações

Blog Archive

Include demo

Master page

Master page blah blah lorem ipsum

About

.

Blogroll

Deus abençoe!

Deus abençoe!

BTemplates.com

© 2015 Diocese de Amargosa - Bahia - Brasil. Deus é Fiel! .Todos os direitos reservados. Designer by @Showja.